6 dicas para decorar com espelhos

Os espelhos fascinam a humanidade há centenas de anos. Poder ver a si e aos reflexos exatos do ambiente sempre foi algo quase místico. Hoje preparamos algumas dicas para decorações criativas com espelhos.

1. Aposte em formatos não convencionais

Espelhos com formatos diferentes do retângulo tradicional podem dar um ar de dinamismo, sofisticação e modernidade ao seu ambiente. E o melhor, a dinâmica dos formatos permite que você escolha espelhos menores. Formatos irregulares e arredondados dão um ar de sofisticação inspirada na natureza.

Para isso, você pode desenhar o formato que deseja e mandar fazê-lo em uma vidraçaria, para sair mais em conta. Peça as laterais lapidadas, e não esqueça de pedir uma alcinha para pendurá-lo.

2. Espelhos redondos

Se você está em dúvida sobre qual formato de espelho escolher, não quer usar o retangular e também não quer errar, aposte no espelho redondo. São super sofisticados e funcionam bem em tamanhos pequenos, além de darem um charme a mais.

Os tamanhos menores podem ser colocados em quartos, corredores ou na sala para darem um ar de elegância. E se você não quer gastar muito, separamos três espelhos redondos e baratos para você conferir. Basta clicar aqui, aqui ou aqui para conferir. Não esqueça de conferir o tamanho para ter certeza de que ficarão bem no seu ambiente.

3. Amplie espaços

Se você tem um espaço pequeno e deseja criar uma sensação visual de um ambiente maior, agora é a hora de apostar em espelhos retangulares e grandes. O espelho também contribuirá com a iluminação do ambiente, então cuidado para não posicioná-lo em uma parede em que o sol bate diretamente, pois o reflexo pode ser insuportável.

4. Molduras que representam a sua personalidade

Espelhos com moldura costumam ter personalidade forte, e são uma ótima dica para criar um ambiente com a sua cara. Como você é? Mais clássico, moderno, divertido, natureba?Por isso, escolha molduras que representem bem a sua estética. Ah, e espelhos sem moldura também podem ser escolhidos caso você tenha um estilo mais minimalista.

5. Composições com espelhos

Se você ama espelhos, para que ter apenas um, não é mesmo? Uma tendência super bacana de decoração é fazer composições de espelhos, seja com molduras com o mesmo tema ou de formas mais orgânicas, sem moldura.

Se você deseja fazer uma composição de espelhos em sua parede, escolha os com uma estética comum, para não virar uma grande bagunça.

6. Conheça o seu estilo

Para decorar, saiba do que você gosta e o que acha bonito. Escolha seus espelhos baseado nisso, pois a decoração só funciona se agradar você 🙂

Antes de comprar um espelho, pergunte-se se ele reflete a sua personalidade e se você se sentirá bem no ambiente.

Inspirações para criar e decorar com móveis de paletes

Os paletes são materiais versáteis que podem ser usados para fazer camas, sofás, poltronas, banquinhos, mesas de centro e o que mais a sua criatividade permitir, sem gastar muito dinheiro e com um pouco menos de impacto ao meio ambiente.

Os nichos criados pelos paletes podem servir para guardar objetos, como livros e sapatos. Uma outra dica é utilizar os nichos para efeitos de iluminação, com cordões de luzes ou até pisca-piscas, que estão super na moda e trazem um charme a mais, além de ficar muito aconchegante.

Outra ideia é utilizar os espaços que sobram para colocar plantinhas. A rusticidade dos paletes combina perfeitamente com as plantas, e quanto mais, melhor!

Deixamos um vídeo com instruções para construir uma cama. Os mesmos princípios mostrados no vídeo podem ser facilmente aplicados para outros móveis. Também deixamos imagens super legais com mais algumas ideias. Divirta-se!

8 cadeiras bacanas para todos os bolsos e para dar um up na decoração!

As cadeiras são um item essencial da casa, e fascinam os designers há muito tempo, afinal, como inovar em algo tão rotineiro como uma cadeira?

Rotineira, mas essencial. Além de terem de ser confortáveis, algumas possuem um charme especial para compor ambientes.

Garimpamos as cadeiras mais bacanas da internet nessa lista, pesquisamos preços, sua história e preparamos algumas dicas para você que está pensando em trocar suas cadeirinhas.

1. Cadeira Trafitto

Simples e moderna, a cadeira Trafitto é feita em aço pintado, com assento e encosto em polipropileno. Assim, esta simpática cadeira pode ser utilizada em ambientes internos e externos, da sala de jantar ao barzinho de rua.

Faixa de preço: entre R$ 67 e 150 cada.

2. Cadeira Eiffel

A queridíssima cadeira Eiffel já é um clássico! Ideal para quem está começando a decorar, ela fica bem em quase todos os ambientes. Não quer errar: vai de Eiffel.

A cadeira foi desenhada por um casal de designers americanos, Ray e Charles Eames. A dupla foi super importante para o design do século XX, e sua influência continua até hoje.

A Eiffel tem várias opções de cor, e algumas variações na base e nos assentos, conferindo diferentes personalidades à cadeira. Na dúvida, opte pelo modelo mais clássico.

Faixa de preço: entre R$ 100 e 160 cada.

3. Cadeira Acapulco

Sentar bem aconchegado para ler um livro ou relaxar depois de um dia corrido, esta é a proposta da cadeira Acapulco. Não se sabe quem a desenhou, mas o modelo nasceu no México, nos anos 50, e logo caiu no gosto dos escandinavos.

A Acapulco fica bem tanto em espaços internos quanto externos, mas não é indicada para cômodos muito pequenos. Um dica é colocar uma mantinha junto da Acapulco para fazer um ninho perfeito. Plantas perto da cadeira também caem muito bem, já que é uma cadeira tropical e de verão.

Faixa de preço: entre R$ 240 e 400 cada.

4. Cadeira Tolix

Desenhada por Xavier Pauchard na França dos anos 30, a Tolix é uma queridinha dos amantes do estilo retrô e industrial, e é encontrada com frequência em cafés, mas nada impede de trazê-la para a sua mesa de jantar.

Faixa de preço: entre R$ 180 e 350 cada

5. Cadeira Bertoia

Elegante e confortável, a cadeira Bertoia foi desenhada em 1952 pelo italiano Harry Bertoia. Com um design super bonito, ela também se ajusta ao corpo para garantir o conforto, e fica linda para compor um ambiente com uma pegada mais industrial.

Assim como em outros modelos, existem variações da Bertoia, e vale a pena pesquisar.

Faixa de preço: entre R$ 240 e 400 cada.

6. Cadeira Ant

Se você busca sobriedade e sofisticação, a Ant, ou Formiga, é uma opção a ser considerada, é um dos clássicos dos anos 50. Desenhada pelo dinamarquês Arne Jacobsen para ser leve, estável e fácil de empilhar, e foi feita originalmente para a cantina de uma empresa farmacêutica.

Hoje ela também é popular nas salas de jantar e de concerto por ser bastante confortável. Há duas versões: de 3 e 4 pernas.

Faixa de preço: entre R$ 180 e 350 cada.

7. Cadeira Louis Ghost

Ousadia é com você? Então a Louis Ghost pode ser uma opção. A cadeira desenhada em 2002 pelo polêmico Philippe Starck foi inspirada na forma da cadeira barroca Luis XV, e é alvo de paixão e ódio pelo mundo, com mais de 1,5 milhão de unidades comercializadas.

É uma cadeira ousada como seu criador, e se você estiver em dúvida, é melhor avaliar bem, porque talvez não seja o seu estilo.

Mas se você um dos apaixonados pela Louis Ghost, vá com tudo. Uma dica: por ser transparente e polimérica, o ideal é que você já tenha móveis de materiais opostos no seu ambiente, de madeira, por exemplo. Quanto mais volumosos melhor. Do contrário, sua cadeira poderá parecer uma colherinha de festa e todo o seu charme e ousadia serão perdidos. O porcelanato também não é indicado, mas se o seu chão for assim, aposte em um tapete de tons terrosos.

Faixa de preço: entre R$ 300 e 360 cada.

8. Cadeira Walnut

Também do casal Eames, a Walnut tem a característica de atrair todas as atenções para si, e fica super elegante sozinha ou em uma dupla para a sala, como poltronas.

Sofisticada, é ideal para leitura ou para aproveitar um bom vinho com os amigos. Por seu formato, a Walnut é um daqueles produtos geradores de conversa, e todos irão querer saber a sensação de experimentá-la.

Faixa de preço: entre R$ 450 e 850 cada.

9. Lojas de usados e de antiguidades

Sua próxima cadeira não precisa ser nova, ela pode vir de uma loja de usados e carregar muita história. Para os amantes do garimpo, essa é uma verdadeira caça ao tesouro, e pode revelar belas surpresas.

Visite as lojas de usados da sua região, quem sabe tem uma cadeira fantástica e única te esperando por lá?

Minimalismo além do Pinterest: 5 reflexões para ficar menos frustrado

A estética do minimalismo é muito legal. Sóbria, moderna e elegante, ela ganhou inúmeros adeptos pelo mundo e virou tendência de decoração. E que tal levar o minimalismo para além da estética?

Primeiramente, devemos salientar que não há problema algum em adotar o minimalismo apenas como uma corrente estética, mas ele pode ser mais do que isso e fazer sua vida bem mais descomplicada.

Confira 5 pontos para refletir e encarar o minimalismo para além da decoração.

1. Economia e praticidade

Um dos pontos centrais do minimalismo é viver com menos, seja para facilitar a vida, economizar dinheiro ou contribuir com a preservação do meio ambiente. E tudo isso se reflete na sua rotina, se aplicado verdadeiramente.

Não é necessário jogar tudo fora e redecorar a sua casa com móveis caros só porque eles tem uma cara minimalista. (E se você quiser também não tem problema).

A questão é assimilar o viver com menos dentro de você, e então não será necessário redecorar tudo com móveis de design. Você se tornará menos consumista, comprará menos tralhas por impulso, e não irá comprar simplesmente para aliviar a tristeza. E então sobrará mais dinheiro, mais tempo, menos coisas para cuidar e menos móveis para bater o dedinho do pé.

2. Conforto

Consumir menos significa ficar menos estressado por endividamento. Significa que no final do mês você sofrerá menos a angústia de gastar todo o seu salário com as contas para pagar. Assim, sua vida ficará mais confortável e, se quiser, pode até ser mais fácil de economizar para o que você realmente quer, seja lá o que for.

E o conforto não é apenas financeiro, mas também mental, já que você irá competir menos para comprar coisas.

3. Não se endivide ao entrar no minimalismo

Ser minimalista não necessita bradar sua nova filosofia de vida aos quatro ventos para que todo mundo saiba que você é de fato um minimalista. E não precisa redecorar a casa toda com móveis caros. Na verdade nem precisa redecorar a casa.

Ao optar pelo minimalismo, escolha o que é melhor para o seu bolso, para o seu bem-estar, e então você estará vivendo o minimalismo de verdade, sem nem precisar comprar um sofá de linhas retas. O minimalismo precisa primeiro existir dentro de você.

Se você jogou seus móveis fora, comprou tudo novo e bonitinho e agora está cheio de boletos chegando, meu bem, você está fazendo isso errado e caiu em um modismo.

4. Cuidado com a frustração

Você navega no Pinterest procurando por inspirações minimalistas, e elas são todas lindas e elegantérrimas (e realmente são). Mas na sua casa você não consegue atingir aquele padrão escandinavo e fica frustrado. Não tem problema!

Na nossa cultura, existe um forte consumo de imagens. O corpo perfeito, a decoração perfeita, o relacionamento, o diploma, as viagens… e até o minimalismo. Não deixe essas imagens de revista fazerem você ficar triste. O seu minimalismo é o seu minimalismo, e ninguém precisa se meter nele. Cuidado com os fiscais.

Se o seu minimalismo é feito de potinhos de sorvete, e não de cerâmicas elegantes, não tem problema, seu minimalismo é lindo e autêntico! Não precisa sofrer pra ter uma casa de revista se na sua rotina está tudo certo na maneira com que você encontra para aplicar o minimalismo. Você não mora dentro de uma revista, e sim no mundo real. Lembre-se disso.

5. Simplifique!

O minimalismo como filosofia tem seu grande pilar na simplicidade. Se você está sofrendo para ser minimalista, talvez esteja procurando por padrões inatingíveis de revista, ou simplesmente o minimalismo não é pra você. E se ele não for pra você, tudo bem!

O importante é que você consiga simplificar a vida de verdade para viver com mais qualidade, ter mais tempo para fazer o que gosta, mais tempo para a família e os amigos, e menos contas para pagar.

Quais hábitos nocivos você pode cortar para viver melhor? No final, é só isso que importa. E foda-se a decoração da casa.